Seguir os Web Standards pra que?

Web Standards, Tableless… Isto tudo é moda, daqui um tempo as tabelas voltam”. Infelizmente, eu ouvi isto! E o pior é que esta pessoa é bem informada. Pelo menos eu achava que era…

Bom! Eu creio que as pessoas acabam cometendo alguns deslizes por falta de informação, ou porque estão agarradas a antigos paradigmas. Em fim, a idéia não é crucificar ninguém, mas mostrar as vantagens que os padrões trazem para a “nossa vida” e para o nosso bolso. Este último principalmente!

Vantagens dos Web Standards

Site acessível em diferentes user-agents
Abranger o máximo de dispositivos é fundamental para quem deseja viabilizar um site na internet. Não é viável excluir alguns usuários do site, devido ao navegador que ele usa, por exemplo.
Melhor indexação dos sites de busca
Aprimorar a colocação nos sites de busca é essencial, se levarmos em conta a quantidade de páginas que encontramos atualmente.
Código mais limpo e fácil manutenção
Tempo é dinheiro. Nem sempre quem implementa o site é a mesma pessoa que cuidará das manutenções. Se a codificação é mais simples, menor será o tempo de análise.
Melhora a navegabilidade de usuários com deficiências
Um site construído com base nos Web Standards, prioriza o conteúdo organizando o mesmo de forma semântica. Ou seja, mesmo que a formatação gráfica seja desabilitada, o conteúdo continua fazendo sentido. Leitores de tela por exemplo, como o JAWS, o Virtual Vision fornecem atalhos que permitem classificar as informações que estão em listas(<UL>, <LI>), ou que foram definidas como títulos (<H1>, <H2>) .
Facilidade para personalizações do layout
Usando CSS é possível diferenciar o layout para determinados segmentos de clientes, sem maiores dores de cabeça. Ou até mesmo, remodelar o visual. Um exemplo clássico é o site css Zen Garden

Consequências de não usar

Não seguir os Web Standards quer dizer restringir o acesso. Imagine um usuário navegando com o Firefox tentando comprar um produto que a muito tempo deseja, porém o site de venda só funciona no IE. No mínimo frustrante! Com certeza, este usuário irá encontrar outro site com melhores condições de atendê-lo.
Isto vale não apenas para diferentes browsers, mas outros dispositivos que acessam a internet e softwares que auxiliam pessoas com deficiências.

Reflexão

Será que alguém mais acha que seguir os padrões é uma “modinha”? Caso sim, é só dizer o porque. No entanto, vale a pena pesquisar!

4 comentários sobre “Seguir os Web Standards pra que?”

  1. Caro, eu leio muitos artigos defendendo o uso dos webstandards expondo as mesmas razões que você expôs, mas ainda não achei um artigo que exemplificasse de maneira clara, os problemas citados. Normalmente os problemas são relativos a atributos muito específicos e pouco utilizados, ou que causam pouco impacto na renderização dos sites. Não estou aqui defendendo o uso das tabelas, enfim, acho que padronizar é muito bom e facilita a vida do desenvolvedor, mas por enquanto ainda acho o CSS + XHTML pouco intuitivo (pq normalmente não responde como era de se esperar), muito mais “chato” de desenvolver e muito mais dependente de “hacks” do que no antigo padrão de desenvolvimento (eu desenvolvo em webstandards e já desenvolvi muito com tabelas. Conheço o Zen Garden e sou frequentador dos diversos sites de webstandards espalhados pela net). Penso que ainda falta muito para o padrão evoluir e se tornar algo simples, fácil de implementar e livre de hacks.
    O que você tem a dizer sobre essa questão? Poderia exemplificar cada um dos tópicos em que você menciona as vantagens e desvantagens do uso de padrões? Exemplos de grande impacto, por favor. Não estou questionando, reforço, apenas quero entender melhor a razão de eu ainda não ter me convencido que os padrões são toda essa maravilha que se apregoa. Muito obrigado.

  2. O problema de sites desenvolvidos com tabelas não está somente relacionado à aplicação de alguns atributos. O problema do uso das tabelas para fazer sites está no tamanho do código final gerado, na complexidade do código, na falta de semântica, na falta de controle do visual do site sem ter que alterar o HTML.

    Os pontos citados acima são mais perceptivos em sites grandes. Sistemas que envolvem várias áreas, que requerem agilidade nas alterações e cuidados específicos para evitar perdas financeiras. Atualmente eu estou em um projeto grande que contempla a alteração visual de dois sistemas transacionais que juntos atendem milhões de pessoas. Todos os dias eu penso: “Se estes sites seguissem os padrões… Seria mais fácil e rápido”.

    Isto não quer dizer que um site montado com tabelas não será bem renderizado pelos navegadores de Internet instalados em desktops. No entanto, a visualização deste site poderá ser comprometida em dispositivos menores, como celulares e smartphones.

    É possível implementar layouts complexos sem a aplicação de hacks. Porém, de acordo com o projeto, é uma boa pedida usar um ou outro hack para obter uma solução rápida e atender os prazos acordados. Eu acredito que com a evolução dos navegadores, será menos comum a aplicação de hacks para solucionar problemas de interpretação dos navegadores (principalmente o IE).

    O que torna legal montar um site com CSS é ter a opção de remodelar a aparência dele ou até mesmo criar um visual diferente para um determinado público sem maiores problemas. Além disso, o trabalho fica bem mais fácil quando é preciso trabalhar com javascript (bibliotecas ou não).

    Eu acredito que existem os prós e contras no desenvolvimento de sites seguindo os web Standards, mas os prós são cerca de 99%. :).

    Obrigado pela sua opinião. Um grande abraço.

  3. Obrigado pela resposta Anderson. Acho que nossos pontos de vista estão ambos corretos. Eu também vejo muitos prós e contras no uso dos webstandards e estamos num caminho sem volta para a padronização. Enquanto os navegadores não respeitarem um padrão estabelecido, seja pelo w3c ou qqer outra organização, não teremos uma linguagem (ou metodologia) robusta e 100% cross-platform. O caminho já estamos trilhando, mas ainda vamos quebrar muito a cabeça até termos o ponto de equilíbrio atingido. Só acho exagerado o modo como apregoam os webstandards como sendo a oitava maravilha do mundo. Tá muito longe de ser isso! É preciso ter olhar crítico sobre os atuais problemas para que eles sejam enxergados e corrigidos. Para o bem de toda a nação de desenvolvedores. Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *